segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Dupla Visão...

Carmen Sílvia Musa Lício

Em 1970, aconteceu um acidente de carro comigo e com alguns dos meus familiares, e minha irmã morreu, após 3 dias em estado de coma. Ficou na cabeça de todos, inclusive na nossa, por que Deus permitiu tal barbaridade acontecer à uma adolescente de apenas 15 anos, tão cheia de vida, tão meiga e doce, que gostava de todos sem distinção???

Este acidente veio ceifar a vida de uma jovem no início da sua vida, com tantos planos a concretizar, tantos planos a sonhar...

Nilza Maria era a mais amada entre os irmãos, pelo seu carisma, pela sua calma, seu sorriso tranquilo, seu amor estampado... Nunca a vi praguejar, xingar alguém, desejar o mal a quem quer que fosse... E se tinha inimigos, nunca o soubemos, pois em seu enterro compareceram a escola inteira na qual estudávamos, toda a igreja, familiares, vizinhos; enfim, uma multidão...


Como esta tragédia atingiu a família de um pastor, deixando-o bastante machucado, a minha mãe (que quase teve o braço amputado) e a mim que estava junto, ficaram em nossas mentes e corações muitas dúvidas, humanas e previsíveis...

Como Deus, em sua Sabedoria, Seu imenso Amor, Sua Onisciência, Seu imenso Poder, Sua Onipresença, poderia ter permitido tal coisa à família de um servo Seu, tão dedicado e amoroso???

Será que Deus cochilou, dormiu e não Se importou em proteger a filha de um servo Seu, que tanto batalhava na Sua obra e deixou-nos à mercê das intempéries da vida?


Não pensem que foi fácil ruminar e deglutir todos estes acontecimentos sem que a nossa fé fosse duramente abalada e provada!!!

Não vou descrever aqui todos os acontecimentos, as dúvidas , as "ruminâncias" em nossas almas, todo o processo pelo qual cada um da família passou, cada um respondendo à sua maneira aos acontecimentos que chocaram nossas vidas...


Sei que nesta época eu e a minha irmã, minha melhor amiga, havíamos acabado de nos converter e estávamos muito felizes pelo que Deus estava fazendo em nossas vidas e, após pouco mais de dois meses, acontecia isto, acabando com os nossos planos de nos casarmos e morarmos em casas contíguas, só separadas por um portão...
Tantos sonhos espalhados pelo chão, abalroados por aquele caminhão!!!


Mesmo sem saber muito bem o que pensar, aceitei tudo o que aconteceu, meio perplexa, mas sabendo que Deus estava no controle, e que sabia o que era melhor para nós... Nunca vi meu pai nem minha mãe reclamarem de nada, apesar de ver estampados em seus rostos uma tristeza tão doída, tão profunda, que nos deixava sem ação... sem saber como agir para tentar faze-los esquecer de todo este sofrimento, ou pelo menos dar uma trégua, nem que fosse por um momento...


Então, uma noite, meu pai fez um sermão, dentre os muitos que me marcaram, que falava sobre Jó... Não me lembro muito bem o seu desenvolvimento, mas como pastor presbiteriano, seus sermões tinham sempre um "arcabouço", com início, meio e fim.
E meu pai era muito inteligente!


Ele falou sobre a história de Jó, de todas as suas tribulações, suas aflições, com a perda de todos os seus bens, seus filhos, tudo; só restando sua mulher, que dizia para que ele amaldiçoasse ao seu Deus e morresse... (Com uma mulher destas, para que inimigos???)


Falou também como os amigos de Jó diziam que ele deveria estar recebendo o merecido castigo por algum pecado oculto, o julgando impiedosamente!!! (Com amigos como estes, para que inimigos???)


Disse ainda que Jó disse a respeito de Deus, no final do seu livro: "Bem sei que tudo podes, e nenhum dos seus planos podem ser frustrados" e "antes eu o conhecia só de ouvir falar, mas agora os meus olhos te veem"... Demonstrando assim que todas estas experiências terríveis serviram para ele conhecer mais a Deus, de uma forma profunda e pessoal!!!


Terminou seu sermão dizendo que, quando uma tragédia nos acontece, temos a tendência de falar que estamos passando por uma prova de fé!!!

Mas quando acontece uma tragédia a outrém, achamos que deve ser o castigo de Deus, a mão de Deus pesando sobre o miserável pecador, como se não fôssemos também miseráveis pecadores diante do nosso Deus, que é Santo!!!
Finalizando, disse que não nos cabe julgar, mas orar por estas pessoas...


Desde então, quando vejo qualquer tragédia, procuro não julga-los, pois isto não nos compete; só a Deus, que tudo vê e sonda cada coração e a intenção deles...


Li a respeito desta tragédia que ocorreu na igreja Renascer, ao desabar o teto da igreja, ceifando vidas e deixando muitas vítimas, e concordo em muitos aspectos com o que li, que "não importa como as pessoas morrem, mas como viveram as suas vidas"...


E aqui quero deixar claro que só importa como eles viveram, se a sua fé foi depositada em Jesus, tendo-o aceitado como Salvador; pois a fé sem obras é morta, mas as obras sem o fundamento, que é Jesus, como Salvador e Senhor das nossas vidas, é totalmente inútil para nos salvar; pois a Salvação é pela graça, mediante a fé, não por obras para que ninguém se glorie... E as nossas melhores obras são, diante de Deus, como trapos de imundície!!!

E isto não sou eu quem digo, mas a Palavra de Deus!!!


Então, oro a Deus, para que tenha misericórdia deste povo, que o Senhor lhes dê o Seu Consolo, que nisto tudo eles possam se aproximar mais de Deus, entender os seus propósitos, pois Deus é o nosso socorro bem presente na tribulação... em quem não há sombra de dúvida!

Que Deus possa acrescentar-lhes mais e mais fé!!! E consolo, e graça abundante!

Não tenho resposta para todos os males que nos sucedem, mas... o que eu não consigo entender, a Deus pertence!
Obs: Os parênteses são meus, e aqui vai o último:
(Nós, como irmãos, a julgá-los, como poderemos mostrar ao mundo que somos diferentes???)


Não nos cabe julga-los, mas ampara-los em oração

31 comentários:

bete disse...

Eu não creio que Deus queira nada disso pra nós. Sua irmazinha morreu por conta da imprudência de alguém, ou de uma falha mecãnica, também pela falta de cuidado de alguém, ou seja, a responsabilidade é nossa. No caso do desabamento, alguém falhou, ou alguém ou várias pessoas, mas houve falha humana, porque matematicamente falando, não há possibilidade de uma estrutura ruir, se ela for feita conforme regras universais, cuja ciência Deus deu ao homem.

Oro para que Deus conforte os familiares dos mortos, ampare os feridos, e acorde os responsáveis.

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Muito triste a história de sua irmã.Em meu entender quando acontece uma tragédia devemos nos perguntar:Para quê? e não Porquê?

Quanto a tragédia da Renascer penso que o enfoque é outro:A falta de responsabilidade e caráter dos responsáveis por essa igreja.Uma pena, pois que os que sofreram não se enquadram na categoria deles.

Esses dirigentes precisam lembrar que Deus não deseja fortunas,palácios e riquezas ilícitas,tanto que Seu Filho vivia apenas com o extremamente necessário.Deus deseja que nossas ações sejam coerentes com o que Jesus nos ensinou.

A ganância é a ruína do homem!!!

Muito bem redigido o seu texto e apesar de triste,sua família é vencedora e forte,pois só os fortes conseguem cumprir as missões que Deus detemina para nós e que só Ele sabe para quê!

Um beijo,com muito carinho,Sonia Regina.

carmen disse...

Bete:

Não creio que foi a vontade diretiva de Deus, mas sim a permissiva...

Ele permitiu... As razões, ainda não sei, mas saberei quando for para o céu e ver o outro lado, entendendo os acontecimentos da maneira como Ele os vê...

Brinco que quando chegar lá, terei uma longa audiência com Deus para que consiga entender muita coisa.

Agora, tem o erro humano, sim, que será apurado e deve, sim, responsabilizar e punir os culpados...

E eu me uno à sua oração...

bjs

carmen disse...

Sonia Regina,
concordo com você; melhor é pensar no "para que" do que nos "porquês". Além de não nos deixar "travados", nos faz ver as lições que precisamos...

Com relação à ganância, ao objetivo ser mais benefício material do que espiritual, também, pois "Buscai primeiro o reino de Deus, e toda a sua justiça, e todas as coisas vos serão acrescentadas"

Ächo que nós não devemos viver um evangelho de prosperidade, de riquezas... Mas isto deixo para Deus, Ele sabe a quantas anda o coração de cada um... Isto compete a Ele, não a mim.

E obrigada pela sua solidariedade!!!

grande bj!!!

Peregrina disse...

Deus escreve certo por linhas tortas. Um dia perceberemos tudo...

Um beijinho querida*

carmen disse...

Peregrina,

teremos a eternidade para tirarmos as dúvidas...rsrsrs

Pelos caminhos da vida. disse...

Eu sei o que vc passou amiga,a 3 anos atras perdi meu irmão num acidente(muito estúpido),demorei para entender(as vezes ainda não entendo),me revoltei,fiquei doente,mas a dor maior é a que carrego em meu peito(A SAUDADE),ele era o meu porto seguro(irmão,amigo,enfim...)mas fazer o que a vida é assim mesmo,se não temos Deus a nosso lado seria insuportável aguentar essas rasteiras que a vida nos da.
Entendo o que vcs passaram e qdo vejo certas coisas assim acontecendo me vêm na mente todo o acontecido com meu irmão,peço a Deus que tenha piedade e misericórdia dessas almas que se foram e que tenha por nós tb pois não sabemos o que ainda nos espera.

Um gde abraço amiga.

beijooo.

Anita disse...

Amigos são como as flores no jardim da vida.
Começam com a semente da confiança, regada com lágrimas e sorrisos, e crecem com lealdade e amor.
A tua amizade fez o meu jardim muito mais bonito.
Gosto muito de ti.

Amiga que testemunho incrivel.
Deus é um Pai de Amor e tudo o que faz, faz para nosso bem e no Seu tempo, embora muitas vezes nós não compreendamos isso na altura.

Beijinhos.
Fica bem. Fica com Deus.
Anita (amor fraternal)

Contrastes disse...

Olá Carmem.
Primeiramente, muito obrigado por visitar o meu blog.Sinta-se à vontade para retornar quando quiser.
Estive lendo o seu post e acho mesmo que é uma história triste, e infelizmente o mundo está
cheio de tristeza e dor.Que bom que vc tem se consolado em Deus porque ele e o único que nos cura com seu bálsamo.
Estive lendo "A Cabana" um livro de ficção muitissímo interessante que aborda justamente isso,mostra a reação de Deus e do homem diante dos acontecimentos tristes e dolorosos.
Fica aí de indicação, caso vc não tenha o lido.
Obrigada por compartilhar estes pensamentos e a sua história.

Com carinho.
Domingas.

carmen disse...

Ana:

Não sabia deste seu episódio... muito triste!!!

Nós ficamos mesmo um tempo sem saber como reagir e prosseguir a vida.

Quando a Nilza morreu veio um "infeliz" me dizer que era assim mesmo e que com o passar do tempo, a saudade só aumentava e piorava!!! Que consolo..,

Mas, não é verdade... Com o passar do tempo a gente não se lembra tanto daquela situação dolorosa, mas nos lembramos da pessoa amada com uma doce lembrança, que não mais nos deixa em depressão ou arrasados...

E graças a Deus por ser assim, senão seria insuportável...

Já fazem muitos anos que só me lembro do episódio quando tem alguma razão, alguma coisa para falar a alguém, para consolar alguém.

E é saudável que seja assim, pois se quisermos nos lembrar "por todos os dias da nossa vida", acabaremos loucas, ou amargas, ou depressivas até... E eles nunca serão esquecidos, pois fizeram parte da nossa história.

Só contei este episódio da minha vida por que li "algures" que isto deve ser castigo de Deus... e considero uma tremenda falta de amor e solidariedade a essas pessoas que estão passando por uma situação tão difícil...

bjs, querida Lia

carmen disse...

Anita, eu sei disto...

E apesar de não entender muitas coisas pelas quais passei ou ainda passo, a minha fé em Deus continua a mesma, pois está firmada nEle, não nas circunstâncias!

bjs

bete disse...

Sim, Carmen, e já vou te dando uma péssima notícia, será por ordem alfabética, então eu entrarei na sala na sua frente, você terá uma eternidade e meia pra aguardar, mas tudo bem porque no céu não haverá tempo. Leve um tricô.

Mas sabe,o que me irrita, é essa gente imbecil falando dos "propósitos" divinos, ahhhh vão se catá, Deus não tem propósitos de mal na vida de ninguém. Falando em propósito, a propósito: as ruínas do coliseu de Roma, as pirâmides e uma centena de templos e edifícios, estão de pé até hoje...será que é porque foram bem feitas?...

Vilma disse...

Carmen: Sábias e cheias de amor e graça, as tuas palavras, que vêm do Alto Céu.
Um abraço grande, de alguém que entende e percebe e reagiu como tu perante a dor.
Deus é bom, acima de tudo e todos!
Ele é o que É e se não confiarmos Nele, em quem poderíamos confiar?

neli araujo disse...

Carminha querida,

Creio que todos nós sem exceção já passamos por situações de perda nas nosas vidas, e é muito duro lidar com elas.

Sinto muito pela sua irmã, pelo irmão da Ana e pelas pessoas que perderam suas vidas neste episódio do templo que desabou.

O que posso dizer é que seu pai era uma pessoa muito sábia ao usar aqueles versículos de Jó:

“Bem sei que tudo podes,
e nenhum dos teus planos
pode ser frustrado.

Eu te conhecia só de ouvir,
mas agora os meus olhos
te vêem.”

Jó 42: 2 e 5

Estes versículos muito me ajudaram em todas as minhas perdas.

beijinhos

Bete e Carminha,

Se a audiência lá em cima for por ordem de sobrenome, então vocês vão ter que fazer muito tricot e crochet na sala de espera, hehehe

Araujo, N. hehehe

bete disse...

Tudo bem, Neli, eu e a Carmen ficaremos aguardando, e fazendo crochê e tricô para todos os salvos por seculo saeculorum...

Viviana disse...

Querida Carmen,

Não posso nem sequer imaginar o quão difícil terá sido para a Carmen e a sua família...

Mas que bom que a sua fé estava firmada na Rocha e ppor isso não foi abalada.

Obrigada por ter partilhado isto conosco.
È bom sabermos o quanto os nossos amigos já passaram. Creio que aumenta os laços e reforça a amizade e amor cristãos.

Um abraço

Que Deus a abençoe mais e mais.
viviana

Renato de Oliveira disse...

Olá, Carmen!

Para tudo o que acontece na Terra haverá sempre um culpado!

Tantas crianças morrem diarimente por esse mundo fora, sem terem oportunidade de viver a vida delas!

O facto de a Carmen ter vindo a partilhar a sua fase da sua vida menos boa, para não dizer má, é de louvar, pela coragem que sempre demonstrou ter e que muita gente não o consegue fazer. Por isso o meu obrigado!

Espero poder tirar as dúvidas que me assistem, sobretudo sobre muitas questões dramáticas para o Ser Humano!

Beijinho,

Renato

carmen disse...

Dona dos contrastes:
Oi, Domingas, voltarei mais vezes lá...
Já haviam me falado deste livro, que espero ler em breve

Obrigada pelas suas palavras...
bjs

carmen disse...

Bete, querida,
se Deus teve um propósito nisto, com o tempo saberemos, com ou sem tricô... rsrsrs

Deus teve um propósito no episódio do dilúvio, do êxodo dos judeus durante quarenta anos no Egito...
Em tudo podemos ver vários lados: o humano e o espiritual...

Mas o meu propósito não foi te aborrecer, baby

bjs

carmen disse...

Vilma, eu falo, há muitos anos, que se eu não tivesse Deus na minha vida, já teria dado um fim nela há muitos anos... mas Deus me alcançou com o Seu imenso amor.

bjs

carmen disse...

Neli:
esta fase já passou, graças a Deus, mas servem para podermos consolar a outros com as mesmas consolações com que fomos consolados por Deus (II Cor 1:4)

Beijão

carmen disse...

Viviana, quando sabemos o que aconteceu aos nossos amigos, os nossos elos se fortalecem, com certeza>
beijooo

carmen disse...

Ih! Renato, então você vai ter que ficar na fila das dúvidas no céu, em último lugar, afinal, se for poe ordem alfabética como a Bete diz... é melhor aprender a fazer algum trabalho manual, ou quem sabe, já serve assobiar, sei lá... rs

bjs

bete disse...

Carmita, você nunca me aborrece. O caso é que o seu blogue é um lugar onde eu me sinto totalmente à vontade, como na casa de uma irmã, então tem hora que eu solto meus desabafos, mas não me leve a mal, é excesso de liberdade que eu tenho aqui. Na contrapartida, você pode falar o que quiser lá no meu que eu deixo...

Jhacy disse...

é verdade, Carmém, nos é dificil aceitar as tragédias humanas, mas a próproa biblia nos diz, que aqui teremos aflições, cabe-nos apenas entregar nas mãos de Deus as nossas vidas e como Jó, perseverar...

carmen disse...

Jhacy:
E perseverar, sempre...
beijão!

carmen disse...

Ok, Bete, valeu!!!
bjs

Gerly disse...

Minha oração é a mesma que a tua, querida!

Sei bem como é difícil quando se trata de tragédias. Tenho uma bem recente e não há um dia em que não pense nisso, e não peça a Deus para aquietar o meu coração à respeito.

Uma vez li em algum livro, que agora não me recordo qual, que não devemos perguntar "porquê?", mas "o quê?" Deus quer nos mostrar, nos ensinar, quais seus planos e propósitos em tudo isso, nas coisas boas e nas ruins, no nascimento e na morte, e que tudo deve ser entregue em suas mãos.

E como vc disse, o que não entendemos entregamos a Deus, deixamos com Ele. Ele cuida de nós!


Uma coisa concordo: que se achem as causas e imputem aos responsáveis as responsabilidades.

E que Deus tenha misericórdia de todos nós!

Beijokas!

:o)

carmen disse...

Pois é, Gerly...
"Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, que são chamados segundo o Seu propósito"

Então, é descanasar e confiar no Senhor...
Beijão!

* O Cantinho da Lia * disse...

Oi Nelinda, muitas saudades de vc...
Esse sentimento que vc citou,de abandono, eu também já o senti qdo perdi meu pai, de uma forma trágica. Mas Deus não nos dá um fardo que não podemos carregar...
E assim como vem, esse sentimento vai embora...Tive muita pena tbém daquelas pessoas do acidente com a igreja...muitas boas almas se encontravam por lá.
Que Deus acolha-as na sua infinita misericórdia.

Um grande Beijo, com carinho.

prjulio disse...

Quando você me pediu opinião a respeito do seu artigo-testemunho eu tinha a idéia mas não sabia bem colocar em palavras.
Ainda não sei exatamente mas, navegando, encontrei um texto que mais se aproxima daquilo que penso.

Está aqui:
http://prjulio.blogspot.com/2009/02/o-respeito-pelo-misterio.html

Ainda há muita coisa a pensar e dizer sobre tudo isso.

Um abraço.