sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

DOIS DE ESPADAS


DOIS DE ESPADAS


Bete Pereira da Silva

- Nunca estivemos tão próximos e ao mesmo tempo tão distantes, e isso ele disse a ela ainda segurando-lhe a mão, que ela retirou num puxão.

- Quero que entenda que isto não é uma despedida, ele continuou. Nós há muito somos separados, eu estou apenas transformando isso em geografia.

- Como ficam as...

- Eu sei, as contas, ele emendou. O desânimo de saber que ela estava interessada apenas em questões de ordem prática, exatamente naquele momento, o levava em pensamento para ainda mais longe dali...

Eu não estou mais aqui, eu já fui, pensava ele.

- Eu vou lhe mandar o dinheiro todos os meses, até...eu vou lhe mandar o dinheiro.

Espantava-se com o tom calmo de sua voz, eu consegui, dizia ele de si para si, eu consegui me libertar desse labirinto sem trégua que foi o nosso relacionamento.

- Desculpe não ter servido para mais nada, ele disse. E espero que você possa reconstruir sua vid...

- Minha vida não está destruída, ela disse secamente. Não tenho nada a recomeçar, eu nunca precisei de sua ajuda para viver a minha vida...

- Só do meu dinheiro, eu sei.

Sempre o dinheiro, ele pensou. E esse pensamento o colocava ainda mais distante dali, parecendo que quase ouvia o barulho do trem que o levaria embora para sempre.

Fundo musical:http://www.youtube.com/watch?v=hn4JyodL7K4
TRILHA SONORA

13 comentários:

neli araujo disse...

Betinha linda!

Muito legal!

Gostei dó título, gostei da história e fiquei com gostinho de "quero mais"!

Quero saber o que vai acontecer agora, babe!

Beijinho carinhoso,

Neli

carmen disse...

Pois é, Neli, está sendo divertido...
Gostei do seu poema!!!
bjs

bete disse...

Faltou a trilha sonora Carmita!

bete disse...

Uai, Neli, agora ele foi embora ué

Se ele aparece aqui em casa eu deixo ele entrar,porque o caboclo é bunitim...

neli araujo disse...

Ai, Betinha!!!!! Só você, linda!

Romântica que sou, quero saber quem foi que ele conheceu no trem...

Renato de Oliveira disse...

Oi, Bete!

Você caprichou na separação! Tem que pensar sempre em "isolamento"?

Pensamento positivo, porque o seu texto está excelente, aliás como você sempre nos habituou e tem um titulo adequado às circunstâncias!

Parabéns pelo ensinamento!

Beijinho,

Renato

carmen disse...

Tenham paciência... já consegui colocar a trilha sonora da Bete, acho... rsrsrs
Estamos parecendo adolescentes...rsrsrs

Neli, não consegui dar os espaços que você deu nos seus versos

Coloquei um montão de vezes, sem nenhuma solução...
bjs às duas...

Uma querendo deixar o moreno entrar... a outra querendo saber quem ele conheceu no trem...
Só vocês!!!!!!!!!!

carmen disse...

Renato, vou lá ver se você gostou do seu post...
bja

Gerly disse...

Uma trama bem interessante.

Vou lendo os caprichosos posts e me sentindo cada vez mais miúda. rs..

Parabéns!

:o)

carmen disse...

Gerly, que bom que você está gostando...
bjs

bete disse...

Taí, podemos fazer a parte dois: O moreno do trem. Pode ser também o moreno do metrô corinthians-itaquera...

neli araujo disse...

Bete, adorei o seu próximo capítulo!
"O Moreno do Metro Corinthians Itaquera!"
Pode começar a escrever, linda!

Gente, eu estou um pouco perdida, hehehe
Vou no meu blog, volto aqui, visito cada um, hehehe
Estou amando toda esta bagunça organizada!

Ótima para uma sexta-feira chuvosa!

beijinhos

carmen disse...

Quanta criatividade!!!
Só vocês duas...kkkkkkkkkkkk