terça-feira, 30 de junho de 2009

Saltando Muralhas...

imagem da net

Carmen Sílvia Musa Lício


Crianças ainda, tal qual super homem,
nos achamos capazes de voar sobre o mundo,
de vencer qualquer barreira, conquistarmos tudo
de uma forma mágica, num piscar de olhos


Quando jovens, nos julgamos fortes e poderosos
capazes de correr, saltar e pular obstáculos,
mesmo quando as dificuldades são imensas
Tudo para atingir nossos audaciosos objetivos

Na maturidade, já sabemos,
somos menos do que pensávamos
os nossos alvos são então readequados
à nossa estrutura física e mental

Na velhice, contabilizamos perdas e lucros,
vemos nosso corpo e forças a definhar
nossas possibilidades se estreitarem,
e nos adequamos à nossa nova realidade

Então, o fato de termos um teto para morar,
o amor da nossa família a nos amparar
nossa pensão a nos manter,
nos dá a noção de como somos
bem aventurados

8 comentários:

mulher lua disse...

Carmen, até parece que estás a poetizar a teoria de Erikson: a aprendizagem faz-se ao longo de todo o ciclo vital e não apenas na infância e adolescência, como muitos teóricos afirmavam.

Veijios

carmen disse...

Mulher Lua:

Nem conheço esta teoria do Erikson... Me dê a indicação, please...

bjs

renato_oliveira disse...

Oi, Carmita!

Porém nem sempre se aplica a teoria de Erikson, carissima Filó!

Como a Carmen sabe, a idade refina muita coisa no Ser Humano. Infelizmente, não a todos, mas na maioria dos casos!

Estamos sempre a aprender, enquanto não nos der algo que degenére!

Mas gostei dos seus versos e da sua poesia! Não "esconda o seu leite"!

Beijinho,

Renato

carmen disse...

Renato, obrigada...

Eu pensei em escrever algo mais leve, saltitante... mas não deu...

Então resolvi falar sobre as diversas fases da vida com suas esperanças e características...

Ficou um pouco pesado, mas real... acho

bjs

bete disse...

Ah, mas mesmo o "menininho", ao correr e saltar, já levava o guarda chuva...ou vai ver que ele tinha uma mãe chata falando no ouvido dele né?

Jacira mavignier disse...

Oi, Carmen!


Sua poesia nos trás ao chão.Ao chão da vida. À vida e as várias passagens dela, verdadeira, bela, fala aos nossos corações...

Beijos

carmen disse...

Calma, Bete...

A mãe esté longe, espero... rsrsrs
cadê a sua blogagem, baby?

bjs

carmen disse...

É verdade, Jacira...

O menino voa, alegre, e eu acabei por traze-lo à realidade... rsrsrs

Se estivesse voando em um balão a realidade já o estouraria... trazendo-o para a realidade

bjs