sexta-feira, 18 de setembro de 2009

O Gramofone...

imagem da net

Carmen Sílvia Musa Lício

No canto da sala de estar, o gramofone era uma peça antiga a enfeitar o ambiente... Assim como o banco, a mesa, todos herdados da avó, que amava ouvir música sentada no sofá de veludo, a pensar naquele tempo em que rodopiava no salão, ao sabor da música e do vinho...

Vovó era uma velhinha pequenina, com seus passinhos delicados, sempre com seu chale enfeitando e protegendo os seus ombros...

Amava escutar seus discos do Carlos Gardel, Carlos Galhardo, Orlando Silva, cantores que sempre embalaram seus amores, suas festas, a sua vida... Todos guardados com muito amor e colocados no gramofone quando queria relembrar seu tempo de juventude.

Sensação boa esta, um calor no coração, que sempre a acompanhava ao ouvi-los a sós. Quando algum dos seus netos escutava junto a ela, contava sobre o baile no qual conheceu seu marido, que a fez tremer de emoção! Como se casaram, após namorarem por longos anos, e tiveram três filhos lindos, alegria das suas vidas...

Os netos não gostavam muito das suas músicas, mas amavam as suas histórias, contadas ao entardecer, próximo à lareira, inspiradas pelo som do gramofone, a lhe trazer de volta tantas recordações!!!

O que um simples gramofone pode fazer, no canto de uma sala de estar, a recordar uma vida inteira passada, tão feliz e tão amada... E ele estivera lá por tantos anos, até as crianças crescerem, e escutarem suas lindas histórias de festas, bailes e de tantas lembranças...

Gratas lembranças!!!

14 comentários:

renato disse...

Oi, Carmita!

Que saudades que tenho do gramofone!

Sabe que meu avô tinha um gramofone muito lindo, que era preciso dar a uma manivela para se ouvir músicas em 33 rpm!

Não sei o que é feito desse gramofone! Parece-me que minha mãe é que sabe do seu destino. E que tal perguntar-lhe pela reliquia! Boa ideia.

Um beijinho e B.F.S.


Renato

neli araujo disse...

Oi, Carminha!

Que lindo o que escreveu, amiga!

Me fez lembrar uma irmã da minha avó, que foi muito festeira na mocidade, e que adorava nos contar estas histórias dos bailes, das roupas que usavam, etc.

A minha avó (irmã dela) já era diferente...achava que tudo era pecado, hehehe

Puxa, agora você me fez viajar...

Adorei o post!!!!!!!!

beijocas e bom descanso!

Neli

Rubinho Osório disse...

Lembranças... que seria a vida sem elas?

carmen disse...

Neli:

Na verdade, foi a imagem que me inspirou, pois quando nasci, a única avó que conheci teve um AVC (diziam as más línguas dos meus irmãos que ela teve o derrame ao me ver!)e ficou na cama por mais de vinte anos.

Não são memórias... é ficção. rs

Mas é bom quando nos recordamos de coisas boas, que nos fizeram bem...

bjs e bfs

carmen disse...

Rubinho:

Estas lembranças que fazem a vida valer a pena!

bjs

UBS disse...

Renato:

Tomara que você encontre este gramofone, pois é uma relíquia mesmo!!!

Quantos anos tem a sua mãe?

bjs e bfs

renato disse...

Oi, Carmita!

É mesmo uma reliquia (o gramofone)!

Minha Mãe tem 82 anos, e vive com a minha irmã mais nova (caçula, né?)!

Beijinho,

Renato

neli araujo disse...

Carminha,

Você escreve tão bem, amiga, que jurei que estivesse relatando uma experiência real!

Amei!!!!!! Não importa que seja ficção...eu viajei, hehehe

beijos

neli araujo disse...

PS: Está trabalhando na campanha de vacinação hoje?

boa sorte, rsrsrs

beijinhos

carmen disse...

Neli:

Agora que eu vi que respondi com gmais do Posto... Já voltei, mas estou "morta"!

Neli, eu passei no teste para escrever"memórias de ficção???

Bom saber... rsrsrs

beijão!

carmen disse...

Renato:

Ainda bem que você especificou queé o gramofone que é uma relíquia... kkkkkkkkk

A minha mãe é mais antiga, tem 86 anos.

Bjs e bfs

Jhacy disse...

Nada mais gsotoso do que essas lembranças!!!
Uma excelente semana pra ti.
beijos.

carmen disse...

Jhacy:

Eu diria que é uma nostalgia, uma lembrança da época, das coisas que nem vivemos...

Dá para entender? rs

beijão!

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Linda História,Carmen!São essas recordações que enriquecem nossas vidas!Felizes os que as tem!

Beijos com carinho!

Sonia Regina.