quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Tenho Dó das Mulheres...

"Vejam só:

A mulher, que por décadas lutou para ter a liberdade de fazer tudo que o homem fazia, é hoje prisioneira da obrigação de fazê-lo. Deixou de ser oprimida pelo homem, para oprimir a si mesma. Quando conquistou merecidos direitos, quando libertou-se da imagem de inferior, lançou sobre si a carga de provar que pode ser superior. (Tuco Egg, em seu excelente blogue "A Trilha", inspirado, talvez, pelo Alysson).

Não é de dar dó? Eu, fosse mulher, tentaria tudo, menos ser igual ao homem... argh!
O capitalismo conseguiu destruir e estragar toda a beleza da emancipação feminina. Deixaram de ser o contraponto à insanidade masculina e tornaram-se "homens" com capacidade de procriar... tenho dó... de todos nós..."

***

Este post foi colocado lá no Blog do Rubinho:
http://rubensosorio1.blogspot.com

Como eu achei muito interessante, atual e pertinente, resolvi, sem maiores escrúpulos, coloca-lo aqui também, uai!!!

6 comentários:

Rubinho Osório disse...

Sinta-se livre para fazer do meu blogue o que quiser!!!!
Obrigado pela consideração!!!

Mery disse...

Olá, eu te vi no blog do meu amigo Zé Carlos e gostei do que comentaste sobre o desapegar...
"que a gente deve se desapegar das coisas materiais", me identifiquei logo por causa das recordações, falaste uma verdade.
Aqui, neste post, eu concordo contigo, mas já me acostumei a lutar sozinha, sou pela liberdade da Mulher desde que haja sempre um ombro amigo de um parceiro para nos aconchegarmos e abraços carinhosos.
Isso, sim, faz muita falta
Beijos de uma carioca que está seguindo teu blog, e espero a tua visita no meu, se quiseres.

carmen disse...

Rubinho:

Sabia que você não se aborreceria, porisso não o consultei...

E eu o considero muito, inclusive como meu irmão idiotivo!

bjs

carmen disse...

Mery:

Mais uma seguidora, uau!!!

Fiquei contente pela sua visita e comentário, viu?

Eu também batalhei a minha vida e dos meus filhos sozinha, sem um ombro amigo para partilhar, mas agora não me importo mais. Consegui cria-los e educa-los sem o pai que desertou quando tinham 5 e 2 anos... Me tornei mais forte, mais guerreira e... venci. Agora estão com 27 e 26 anos!!!

Já fui lá ver o seu Blog, que irei seguir... se deixares

bjs

Mery disse...

Me segue, sim, Carmen, gosto do teu jeito, pareces com a minha irmã, vai lá, e fica entre os meus amigos, esqueci de ver qual é a cidade que moras, quando fores lá me diz...se é perto do Rio de Janeiro.
bjusssss.. Mery*

* O Cantinho da Lia * disse...

Temos os mesmos direitos e os mesmos deveres que os homens.Sim, libertamo-nos da inferioridade e somos independentes. Não sei oque pensa a maioria, mas eu não quero ser superior. Só quero poder lutar e vencer com as mesmas vantagens e direitos.

Bjs, linda.

Obs: Só não podemos namorar o mesmo tanto que os homens. Eles levam boa fama, e nós, má fama...kkkk